segunda-feira, 19 de junho de 2017

Exames do 2º trimestre de gestação

Entre a 13ª e 27ª semana de gestação novos exames devem ser realizados, com intuito de acompanhar o desenvolvimento do bebê e o estado de saúde da mãe. A quantidade  e periodicidade  de exames, pode variar de acordo o histórico de saúde da gestante, mas no geral, os que são indispensáveis são os listados logo abaixo:

  • Verificação da altura uterina:  Até 28 semanas deve ter aproximadamente 24 cm .
  • Pressão Arterial: Aferida sempre em todas as consultas de pré-natal, é importante para verificar a possibilidade de eclampsia e parto prematuro..
  • Hemograma: Verifica  se a mãe esta com anemia
  • Ultrassom Morfológico: Extremamente importante para avaliar o desenvolvimento dos órgãos do bebê, a quantidade de liquido amniótico, identifica também se há alguma síndrome ou doença cardíaca.
  • Urina  e Urocultura: Faz o diagnostico de infecção urinária.
  • Glicose: Teste de glicemia realizado ingestão de Destrozol, importante para diagnosticar diabete gestacional
  • Fibronectina Fetal: Avaliação de parto prematuro por meio de analise de secreções vaginais.
  • Toxoplasmose: Verifica a imunidade da mãe  em relação a toxoplasmose
  •  VDRL: Identifica se há sífilis , caso haja é importante que seja realizado tratamento adequado para que o bebê não sofra malformação.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

6 Benefícios da amamentação prolongada

Pediatras recomendam a amamentação até o bebê ter pelo menos um ano de idade, mas muitas mães continuam muito além disso. 

Descubra as vantagens da amamentação prolongada.

1. Fornece nutrição para o bebê: Muitas mães pensam que não há valor nutritivo após um ano, e isso não é verdade, Independentemente da idade do seu bebê ele continuará a se beneficiar da proteína, cálcio, gordura, vitamina A e outros nutrientes no leite materno.

2. Aumenta o sistema imunológico: Os bebês que são amamentados por mais tempo tem menos incidências de doenças e menos taxas de mortalidade. Quanto mais você amamentar seu bebê as chances de infecções no ouvido e infecções respiratórias são menores.

3.Torna as mães mais saudáveis: as mães que amamentam são menos propensas a ter câncer de mama, ovário e câncer de endométrio.

4. Aumenta o desenvolvimento do cérebro: Estudos demonstraram que a amamentação ajuda a estimular o desenvolvimento cerebral em bebês. E não é apenas dos nutrientes, bebês que são amamentados em ambos os seios em posições diferentes desenvolve o senso de direção. Quando as mães alimentam os bebês o instinto de colocar o bebê em posição diferente em cada alimentação ajudar a exercitar o alcance e a mente do bebê.

5. É calmante para o bebê: A amamentação é um gesto para que a mamãe e o bebê se conectem, mas também é uma maneira de acalmar um bebê em uma situação estressante. Quando a criança cai e se machuca a amamentação e uma maneira de distrair e acalmar a criança, enquanto isso pode-se verificar o machucado.

6. É calmante para as mães: As mães têm muito a fazer, no trabalho, nas tarefas domésticas e nas questões familiares. E no intervalo e uma hora apenas para a mamãe e o bebê, onde ela se senta e se acalma, e todo os afazeres poderiam esperar.



Obs: Todo o conteúdo no site é apenas para fins informativos e não deve ser considerado um diagnóstico específico ou plano de tratamento para qualquer situação individual. Procure sempre o conselho direto de seu próprio médico em relação a quaisquer questões ou problemas que possa ter em relação à sua própria saúde ou à saúde do seu bebê.

Enjoos durante a gravidez


A maioria das mulheres sofrem com os terríveis enjoos  durante a gestação, principalmente durante o primeiro trimestre.
Não há nada comprovando, mas algumas pesquisas indicam que isso ocorre devido ao aumento dos níveis do hormônio gonadotrofina coriônica (HCG), mas isso varia de acordo organismo, pois há casos de mulheres com níveis bem elevados de HCG e que não apresentaram  nenhum enjoo durante toda a gravidez. Portanto não podemos afirmar com absoluta certeza qual a principal causa desse incomodo.

Listamos abaixo algumas dicas para amenizar os enjoos:

• Se alimente a cada duas horas, mas não exagere na quantidade,  coma em pequenas porções.
• Mantenha-se hidratada,  tome bastante água,  as vezes ela causa mais enjoo,  nesse caso você pode colocar rodelas de abacaxi ou limão na água que ira beber.
• Evite frituras e alimentos gordurosos
• Aumente a ingestão de frutas, algumas grávidas relatam que abacaxi, tangerina e laranja amenizam bastante os enjoos.

É importante ressaltar, que casos os sintomas persistam procure imediatamente o seu médico.

Exames do 1º trimestre de gestação

Durante o primeiro trimestre (que vai até a 13ª semana ) alguns exames são fundamentais e devem realizados para garantir que o bebê e a mãe estejam bem. Nesse inicio de gestação é possível identificar riscos de aborto, malformação do feto e doenças que podem passar da mãe para o bebê.

Em todas as consultas de pré natal devem ser realizados os exames físicos, que são eles:  pressão arterial, medida da altura uterina e peso; esses três itens auxiliam no diagnóstico  de um possível parto prematuro e avalia o crescimento do bebê.

Os demais exames são de sangue, listados logo abaixo:

Citomegalovírus: Identifica infecção pelo citomegalovírus, se não for tratada pode causar  microcefalia, surdez, icterícia e atraso no crescimento do bebê.

Toxoplasmose: Identifica se a mãe é imune ao protozoário  Toxoplasma Gondi, que pode causar malformação no feto.

Glicose: Diagnosticar diabetes gestacional ou acompanhar  o tratamento caso a mãe seja diabética.

Rubéola: Serve para identificar se a mãe possui Rubéola, doença que pode causar malformações no bebê  e aumenta o risco de aborto ou parto prematuro.

Hepatite B e C: Serve para identificar  hepatite B  e C . Caso a mãe faça o tratamento adequado diminui o risco de bebê ser contaminado.

Tireoide: Esse exame identifica o  hipertireoidismo através da analise dos níveis de TSH, T3 e T4. Se não for tratado pode causar aborto.

Hemograma completo: Identifica anemia e infecções.

HIV: Serve para detectar a presença do vírus HVI, causador da AIDS. Com o tratamento adequando o bebê pode nascer sem se contaminar.

No caso de primeiro trimestre, com 11 semanas de gestação a fundamental a realização do exame de ultrassom para realizar a medida da translucência nucal, que identifica o risco de doenças genéticas , principalmente síndrome de Down. Além de avaliar o tempo correto de gestação, data prevista do parto e frequência cardíaca do bebê.

VDRL: Detecta se a mãe esta contaminada com Sífilis. Caso não seja bem tratada , essa doença pode causar malformação no bebê ou até mesmo levar ao aborto.

Tipo Sanguíneo e Fator Rh: Trata-se de um exame extremamente importante quando os pais possuem fator Rh diferentes.

Urina e Urocultura: Detecta infecção urinaria, muito comum durante a gravidez, e caso não seja tratada, pode levar ao parto prematuro.

A Ultrassonografia também é de extrema importância e deve ser realizada na período correto.